sexta-feira, 11 de novembro de 2011

O dia em que comecei a acreditar no amor

  Primeiro que admita que estou apaixonada por alguém é um dia de juízo, ando ali cheia de rodeios, até mesmo comigo própria. Isto porque passei uma vida (mesmo sendo curta) a acreditar que os sentimentos eram para os fracos e que conseguia controlar as minhas emoções, além de que pensava que amor era coisa da televisão e livros. Se havia coisa que fazia-me vómitos era filmes como o "Diário da Nossa Paixão" ou "The Notebook", if you prefer. Não achava piada nenhuma a manifestações de afectos, era uma pessoa muito fria diga-se. Achava que nunca na vida um rapaz/homem iria olhar para mim.Tinha a cabeça cheia de ideias pré-concebidas e preconceitos também. E falo nisto porquê? Hoje em conversa com uma colega, ela contava-me que não acreditava no amor e que os homens eram todos iguais e que um dia iria também deixar de acreditar. Compreendi perfeitamente o que estava a dizer-me, mas só que desta vez discordei. Olhei nos olhos e com todas as minhas forças disse "Olha, tu podes tentar-me convencer-me disso, mas aviso-te já que nunca vais conseguir, sou uma romântica. Um dia vais render-te ao amor, ou melhor, a alguém. Um dia vais perceber o que sinto.". Há uns anos atrás iria concordar, mas com o passar do tempo fui mudando. E sim, hoje sou uma romântica incurável lamechas q.b. O "Diário da Nossa Paixão" passou a ser um dos meus filmes favoritos, não pela sua grandeza, mas pela história, que diz-me muito. Além disso, apesar de não ter a pessoa mais dada a abraços e beijos, quando gosto verdadeiramente de alguém não me inibo de os dar! Os acontecimentos, as experiências, as pessoas fizeram-me mudar a minha maneira de ver o amor. Hoje, devoro livros com histórias de amor, sobre o amor e com amor. Estou-me nas tintas para os que querem fazer-me desacreditar do amor! Eu sei que talvez irei dar vários trambolhões, mas há que ter esperança, agora que passei a ser mais optimista não quero mudar. E sem dar conta, um dia dei por mim a chorar a ver um filme romântico em vez dos habituais "vómitos". E esse foi o dia em que comecei a acreditar no amor. 

4 comentários:

IceQueen disse...

Eu antes também não gostava nada de filmes românticos e tal, achava-os uma piroseira e achava que os namorados não serviam para nada xD Mas agora também sou uma romântica. Mudei muito em relação a isto. E acredito no verdadeiro amor ^^

ângelasousa disse...

Adorei o texto.
Sabes eu sempre acreditei no amor, mas sou q.b.
Posso ser bastante fria, mas quando amo alguém não me inibo de fazer manifestações de afecto :)
Aposto que um dia toda a gente vai encontrar alguém, e eu também ;)

Wild Things disse...

Eu não gosto de lamechices, mas não nego que adoro gestos românticos (quando não em demasia, claro)!

Miguel Silva disse...

Eu foi exactamente o contrário...Dantes acreditava no amor com todas as minhas forças mas com o passar no tempo tornei-me uma pessoa fria com uma raiva do tamanho do mundo.

Com deus também. Até aos 12 anos era muito crente, a partir daí tornei-me completamente antideus com opiniões bem formadas e argumentos inabaláveis, adoro quando vêm Jeovás a minha casa, venho de propósito cá fora falar com eles e dá-me prazer ver a cara de espanto e de dúvida deles quando vão embora.


bem sou um anjinho com cauda de diabo x)