quarta-feira, 13 de março de 2013

Não há pachorra

Se for um lado a minha professora de psicologia b é uma bruxa autêntica (juro que é realidade, para eu dizer tal coisa sobre um professor ele tem que ser bastante mau), a minha professora de sociologia é uma querida e de longe está no meu Top de DT´s, empatada com a minha DT do ciclo. Eu sei que tenho capacidades e sou inteligente, se consegui tirar 17 no trabalho de sociologia e fazer uma apresentação impecável, sou capaz de o fazer a psicologia b. Mas as unhas da senhora são mais bonitas e eu é que sou burra. Não há pachorra, pá! Caso siga de facto serviço social, os professores da cadeira de psicologia que tenha piedade de mim. Sejam meiguinhos, eu prometo que sou boa aluna! A minha professora é que manda uma pancada descomunal...

4 comentários:

*C*inderela disse...

Psicologia e Sociologia eram as minhas cadeiras preferidas do 12º ano. Segui esta ultima :)
Em relação aos professores de Psicologia, muitos têm licenciaturas em Filosofia mas dão Psicologia e é por isso que eles não batem bem :P LOLOL.

Bjokas.

Miguel Silva disse...

Não consegues, eu já tive esse efeito em algumas pessoas à uns tempos atrás. Infelizmente perdi o dom e a vontade

Mais um blog de gaja disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mais um blog de gaja disse...

Tenho uma má experiência com profs de Psicologia no secundário...

Eu sei que o ódio é um sentimento muito feio, mas se há pessoa que eu odeio, é o mongolóide que fingia que nos dava Psicologia no secundário. Para além de ser um tarado do pior, de tratar as mulheres como objetos e assediar as alunas (já foi expulso de imensas escolas), é um religioso fanático e nunca discutimos, realmente, temas de Psicologia na aula.

No início do ano letivo éramos 14, no final do ano éramos 6. Ninguém o aguentava, nem aos joguinhos ridículos dele, segundo os quais quem não lhe dissesse "amén" a tudo, levava com negativas a torto e a direito.

Aliás, o trabalho para avaliação que ele me mandou fazer era sobre o milagre de Fátima, vê lá tu! Dei um ponto de vista imparcial, porque não sou religiosa mas respeito quem seja, e ele ficou todo ofendido porque queria que eu me declarasse católica e que dissesse acreditar em tudo. Um trabalho que nem tinha a ver com Psicologia!

Moral da história, com testes em que tive 16, 17 e 18, ele deu-me no final do período um 14 descabido, porque sabia que eu precisava de 15 para ter média para entrar em Psicologia na Universidade de Coimbra.

Faltava-me uma décima para ter conseguido entrar, imagina a frustração e a vontade de espancar a criatura. O que vale é que se não fosse isso não tinha percebido que se calhar até gosto mais de Sociologia. Menos mal :)

Desejo-te a maior sorte com essa professora!