domingo, 16 de dezembro de 2012

Na minha forma de expressão

 Ouve, senta-te aqui. Pode ser mais perto, eu juro que não mordo. Até posso morder mas só em casos de defesa. Sabes, eu sou uma pessoa contraditória, eu não funciono como a maior parte das pessoas. Sabes quando os peixes nadam todos na mesma direcção? Bem, eu sou aquele peixe que nada contra a corrente desalmadamente porque acho que aquele é o melhor caminho a seguir, mesmo que seja o mais difícil. Os obstáculos nunca assustaram-me muito, nervos sim! Assustar não. Isto para explicar que quando eu digo algo tu tens que descobrir o que realmente quero dizer, que normalmente até é o oposto. Suponhamos que  pedes-de a opinião sobre, hum... uma obra de arte feita por ti, por exemplo. Bem, vou ser a primeira a criticar pela negativa, depois faço uma critica mais construtiva e se eu disser "Está bom", então olha, abres uma garrafa de um bom champanhe e iluminas o céu com fogo-de-artificio à lá passagem de ano madeirense. Mais exemplos: se chamar-te de idiota, abanar ligeiramente negativamente a cabeça e fizer um sorriso enviesado então isso significa que gosto imenso de ti. Normalmente quando digo a alguém que odeio a pessoa, então é porque não vivo sem essa pessoas. Mais depressa dou-te um carolo de que um abraço, mas isso só significa que gosto de ti. Se criticar a comida que a minha mãe faz, então é porque está uma delícia. Eu não trato as pessoas por amor, é "ó idiota" mesmo. Se tratar alguém por amor é porque ocupam um lugar VIP no meu coração. Caso eu convide-te a ires dar uma volta ao bilhar grande, opá és o maior. Finjo imensas vezes que não quero algo ou não preciso de uma determinada pessoa, nunca gostei de mostrar-me frágil. Eu tenho sentimentos sim, mas são sempre ao contrário. 

1 comentário:

Iva Araújo disse...

Este blog é a minha casa! Sinto-me tão bem aqui, identifico-me em cada palavra, em cada frase e felizmente há mais pessoas como eu neste mundo :)... Parece-me impossível mas nunca encontrei assim ;)