segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Original

 Cresci a pensar que ser diferente, a meu ver, era mau. Muito mau, na verdade... Sempre tive ideias muito próprias e quando queria algo fazia por isso. Durante muitos anos a minha ambição era inserir-me na multidão, ser mais uma, igual a tantos outros. Oh, silly me! Mal sabia eu que a originalidade é o que nos torna únicos e bons. É o que nos distingue dos outros que nos faz ser quem somos, sermos óptimos em algo.    Até que um dia parei e percebi que "Espera! Passam-me a vida a dizer que sou diferente... E porque não pegar nisso e jogar as cartas a meu favor?".  A partir desse momento em diante comecei a ter orgulho em ser diferente, mesmo que por vezes o facto de ser diferente traga alguns dissabores. Mas foi aí que comecei a ser feliz, quando comecei a lutar pela minha diferença. 

4 comentários:

Logan disse...

o problema não é tanto ser-se diferente mas sim o facto de muita gente vulgar se achar algo de especial... dizem querer algo de diferente quando são a coisa mais banal à face da terra.

Iva Araújo disse...

Fui exactamente como tu mas um dia acordei e disse que se lixe o mundo! Fartei-me desta mania de sermos todos iguais... Hoje, sou muito feliz por ser diferente. Eu gosto, os meus amigos gostam e que o resto que se encham de moscas ;).
Ser diferente, é ser especial.

Ângela Ferreira de Sousa disse...

Adorei a imagem.
Eu considero-me diferente, única e especial e nunca irei mudar o que sou por pessoas alheias. Eu gosto e os meus gostam, portanto! :)

Ângela Ferreira de Sousa disse...

Adorei a imagem.
Eu considero-me diferente, única e especial e nunca irei mudar o que sou por pessoas alheias. Eu gosto e os meus gostam, portanto! :)